Reprodução 4333102c 5b50 4349 8fb2 4196e2abf71d Preta Gil e Paulo Gustavo comentam liminar

A polêmica da semana se resume a uma liminar assinada pelo juiz Waldemar de Carvalho que permite que psicólogos possam, em caráter liminar, tratar gays e lésbicas como ‘doentes’ e oferecer a eles terapias de “reversão sexual” sem serem censurados pelo do Conselho Federal de Psicologia (CFP). Isso revoltou Paulo Gustavo e outros famosos.

Tal decisão, como era de se esperar, já está causando um grande furor nas redes sociais. Vários famosos gays, bi e simpatizantes já se manifestaram sobre o assunto.

Fernanda Gentil ironizou: “Tentando me curar dessa doença, mas tá difícil…Ô Paulo Gustavo, obteve sucesso aí?”. O humorista entrou na onda e perguntou se a loira do “Esporte Espetacular” e Preta Gil estão se tratando.+ Criticada, Bruna Marquezine dá patada em seguidor: “Falo a língua que eu quiser”

Eu tô catando tudo que é remédio aqui para melhorar na homossexualidade, mas não tô conseguindo. Eu tô ‘viado’ há muito tempo, difícil sair da crise”, disse Paulo.

E acrescentou, chamando o marido: “Ô Thalles, liga aí para a Fernanda Gentil porque ela é lésbica, para saber o que ela tá tomando para tentar melhorar? Não tô conseguindo não… O que é isso aqui? Remédio para a asma. Outro dia eu tava ofegante, tenho medo disso aí ser um dos sintomas. Ô Thalles, liga para a Preta Gil porque ela é bi, deve saber também…”.

A filha de Gilberto Gil também entrou na discussão: “A gente está aqui tentando procurar um remédio, alguma coisa para ver se cura a gente da homossexualidade, da bissexualidade. Como é que cura um ser humano de amar o outro?”.

Ela ainda chamou outros dois famosos: “Fernanda Lima, você que tem tantos amigos que amam livremente, você tem algum remédio? Sabe se eles tem algum remédio ou acharam a cura? Pabllo (Vittar) , mana, me conta! Você acha que tem que se curar? Se tiver a cura aí, deixa longe de mim porque prefiro ficar doente”.

“Que tempos estranhos. Como será o coração de quem acredita que o amor é uma doença. Por corações mais cheios de afeto!”, pediu Déborah Secco.

“Correndo pra lembrar que #HomofobiaÉDoença. Não deixem que se esqueçam enquanto eu estiver ausente” declarou Camila Pitanga.