PUBLICIDADE
Home » Notícias » Cachorro é brutalmente morto no Carrefour de Osasco
MALDADE

Cachorro é brutalmente morto no Carrefour de Osasco

A triste cena em nada perde para as que costumamos ver em filmes sobre psicopatas. Uma sala fechada e sangue por toda a parte. A vítima: um pobre cão que buscou abrigo no Hipermercado Carrefour da Av. Autonomistas de Osasco (SP). Mal sabia ele que no lugar de ajuda encontraria uma morte brutal e absolutamente desnecessária já que, se não o queriam dentro do mercado, bastava colocarem para fora sem qualquer agressividade.

A chocante história, infelizmente verídica, aconteceu nessa quarta-feira, dia 28 de novembro, e exatamente no “Mês Verde”, escolhido para ser o mês de combate ao abandono de animais. Esse cãozinho tão manso e meigo, certamente já teve um lar. Há algumas semanas, no entanto, ele entrou no mercado e passou a receber alimentação e carinho de alguns funcionários. Inocentemente acreditou que todos os humanos continuariam respeitando sua frágil vida. Mas não foi assim.

Um segurança o espancou quase até a morte sem, inclusive, dar-lhe a chance de fugir, pois, é exatamente o que ele faria se tivesse tido a oportunidade desde o primeiro golpe. Testemunhas alegam ter visto a agressão, só não se sabe por que não impediram o pior. Uma ONG foi acionada e recolheu o animal que acabou morrendo no CCZ tal era seu estado crítico. Suspeita-se também que foi envenenado por conta de vômitos, mas somente o laudo veterinário, previsto para semana que vem, poderá definir a causa da morte. No entanto, pela quantidade de sangue, até leigos podem arriscar dizer que ele foi morto com extrema brutalidade.

Procurado pela ANDA, o Carrefour ainda não se pronunciou sobre o caso. No Facebook, a empresa respondeu comentários dos internautas que cobraram um posicionamento oficial.

“O Carrefour repudia qualquer tipo de maus-tratos. Afastamos a equipe responsável pela segurança do local no dia do ocorrido até que a apuração do caso seja finalizada e as devidas providências tomadas. Assim que vimos o animal, ele foi acolhido e alimentado por nós até que a Zoonoses chegasse para o atendimento”, diz o texto publicado na página.

/* ]]> */