Leilão da Receita vende iPhone 6 por R$ 900; saiba como participar Leilão da Receita vende iPhone 6 por R$ 900; saiba como participar | ANTENA CRÍTICA
Leilão da Receita vende iPhone 6 por R$ 900; saiba como participar | ANTENA CRÍTICA
OPORTUNIDADE

Leilão da Receita vende iPhone 6 por R$ 900; saiba como participar

Por Junior Calheiros com informações do TechMundo | 26/11/2018 | 17:32
Foto: Reprodução | Internet Leilão da Receita vende iPhone 6 por R$ 900; saiba como participar
iPhone é um dos produtos disponíveis nos lotes

Ainda dá tempo de participar do Leilão da Receita Federal com produtos apreendidos por fiscais em Fortaleza (CE). Boa parte dos itens são encomendas que chegaram ao Brasil sem pagamento de impostos e por isso foram retidos. Entre os destaques estão lotes de iPhone 6 por R$ 900 e iPhone 7 por R$ 1.300.

São 32 lotes de produtos que incluem videogames de última geração vendidos a preços bem mais baixos do que nas lojas brasileiras. Os lances podem ser realizados até essa segunda-feira (26) e o pregão está marcado para amanhã, dia 27, às 11h (horário de Brasília).

Para participar do leilão o interessado tem que ser pessoa física, ter cadastro no site e os produtos não podem ser comercializados, ou seja, deve ser para uso próprio.

Como funciona o leilão

Na primeira parte do pregão, os participantes dão sugestões de valores para cada lote no site da Receita Federal até às 18h do dia 26 de novembro. É permitido apenas um lance por lote e só passa para a próxima fase o consumidor que der um lance até 10% menor do que a melhor proposta. Por exemplo: se o valor máximo de um lote atingir R$ 2.000, apenas os que fizeram lances acima de R$ 1.800 poderão participar do pregão online, que acontece no dia 27.

Ao fim do leilão, o vencedor precisará fazer o pagamento em até um dia após a confirmação do arremate — o prazo máximo é de 20 dias, sujeito à multa. Caso contrário, o produto ficará disponível novamente. Vale lembrar também que é preciso fazer a retirada do lote no local (nesse caso, em Fortaleza) em até 30 dias, já que a Receita Federal não se responsabiliza pelo frete.

Outra ponto para se atentar é que não serão aceitas devoluções, ficando para o arrematante quaisquer custos com consertos ou algo do tipo. Os produtos também não têm garantia para cobrir possíveis defeitos.

Vale a pena?

Apesar dos preços baixos, é sempre bom lembrar que se tratam apenas do valor mínimo e que dificilmente será possível arrematar os produtos por esse preço. Antes de entrar no leilão, vale estabelecer um teto máximo, levando em conta a questão do custo de transporte e o fato de não ter garantia.

Além disso, é preciso se atentar a alguns detalhes burocráticos, como, por exemplo, a necessidade do certificado digital no sistema e-CAC da Receita Federal para participar. Além disso, alguns lotes exigem documentação específica para serem retirados, e outros requerem o pagamento de tributos. Por isso, é importante, antes de qualquer coisa, ler o edital.

Comentários


Confira a programação dos blocos de rua do carnaval 2019 em São Paulo
POLÊMICA
Leilane Neubarth detona jornalista da Band: “Não sei se fico enojada, revoltada ou com pena”
REVOLTA
Jornalista da Band causa revolta ao fazer comentário sobre João de Deus
CONDENADO
Alexandre Frota é condenado a pagar multa por atribuir fala falsa de pedofilia a Jean Wyllys nas redes sociais
DICAS
Umidificador de ar ou climatizador? Qual é a melhor opção?